Estudos confirmam: Os cães podem sentir quando uma pessoa é má ou não…

Para quem pensa que os cães são apenas animais irracionais, que não tem sentimentos, está muito errado.

Já foi comprovado, através de muitos estudos que os peludinhos podem sentir emoções humanas, como diferenciar rostos felizes e irritados e até mesmo ficar com ciúmes.

A ciência confirmou também que eles também podem sentir se uma pessoa é ou não é confiável.

Uma coisa é certa: quando seu cãozinho dá sinais de não gostar de certa pessoa, fique atento, pois seu pequenino está querendo te mostrar que algo está errado.

Os cães entendem quando um ser humano aponta para algo, ou seja, quando apontamos para uma bola, brinquedo ou comida, o pequenino irá até o lugar ao qual a pessoa aponta para explorar.

O interessante é que as últimas pesquisas mostram que eles são rápidos em descobrir se estão sendo enganados ou não.

Em um estudo publicado na revista “Animal Cognition”, uma equipe liderada por Akiko Takaoka, da Universidade de Kyoto no Japão apresentou 34 cães e exercícios com três rodadas de apontar.

Na primeira rodada, os pesquisadores apontaram para um recipiente cheio de comida que estava escondido.

Na segunda rodada, eles apontaram para um recipiente vazio, também escondido.

Na terceira, apontaram novamente para aquele que estava com comida, embora os cães não tenham respondido a esta última indicação.

Isso sugere, de acordo com Akiko, que os cães poderiam usar sua experiência com o pesquisador para avaliar se eles são confiáveis.

Após essas rodadas, um novo membro do estudo apontou para o mesmo lugar do terceiro experimento e os animais seguiram essa nova pessoa com interesse.

Akiko contou que ficou surpreso ao ver que os cães não confiam no ser humano tão rapidamente.

“Eles têm uma inteligência social mais sofisticada do que pensamos, que evoluiu seletivamente em sua longa história ao lado dos seres humanos“.

O próximo passo seria testar outras espécies estreitamente relacionadas, como os lobos. Isso revelaria os “efeitos profundos da domesticação” na inteligência social dos cães.

Assim, o estudo destacou que os cães são atraídos para coisas previsíveis.

Assim que os eventos de suas vidas se tornam irregulares, eles procurarão coisas alternativas para fazer.

E se, constantemente, eles não sabem o que vai acontecer, poderão ficar estressados, agressivos ou temerosos. “Cães cujos donos são indecisos com eles, geralmente têm transtornos comportamentais”.

Esta última parte do experimento pode ser explicada pelo fascínio dos cães com algo novo: “Os cães são quase um banco de dados de gestos”, disse Bradshaw da Universidade de Bristol, “é por isso que o segundo pesquisador foi mais confiável porque o primeiro os decepcionou e eles lembraram”.

Para Victoria Standen, essa descoberta não é nenhuma surpresa. Ela possui um collie, que é considerada uma das raças mais inteligentes.

Quando você faz uma caminhada, o collie sempre fica atento ao seus passos e espera para ver qual caminho você vai tomar. “Muitas vezes eu o ensinei o caminho de volta para casa e ele, quando começava a caminhar por um local diferente do ensinado, olhava para mim como se perguntasse se aquele era realmente o trajeto certo”, disse Victoria.

Além disso, se um estranho provou ser pouco confiável, seu cachorro provavelmente desconfiará dele sempre. “Ficou bem claro que os cães são mais espertos do que se acreditava anteriormente”, confirmou.

Os cães têm uma sensibilidade muito grande ao comportamento humano, entretanto têm menos preconceitos. Eles vivem no presente, não pensam no passado, nem planejam o futuro.

Eles reagirão de acordo com a situação em vez de pensar profundamente sobre o que isso implica. “Então, é claro que os cães não ouvem atentamente quando fazemos um gesto como o do estudo mostrado, mas eles avaliam a informação que lhes damos com base na ajuda que eles conseguem alcançar seus objetivos”, disse Brian Hare, pesquisador envolvido no teste.

“Por exemplo, muitos cachorros de família podem ignorar os gestos que seus donos fazem quando eles apontam incorretamente e usam a memória para cheirar e encontrar o que estava escondido”, acrescentou.

Concluindo, se seu cão é geralmente amigável e se comporta diferente, com uma determinada pessoa, é bom prestar atenção ao que ele está tentando dizer.

Nossos peludinhos, na maioria das vezes, têm certeza se aquela pessoa é ou não confiável.

Fiquem atentos aos sinais!

Fonte: Asomadetodososafetos.

Resgatados de um confinamento indigno, os 9 cãezinhos não paravam de sorrir

Muitas vezes achamos que estar atrás das grades pode ser necessário para que algumas pessoas paguem por suas ações, no entanto, é lamentável saber que existem muitas pessoas trancadas em suas casas, sem nenhum motivo. E mais preocupante ainda é que, em seu confinamento, acabam levando consigo animais inocentes, privando-os da liberdade que eles tanto merecem.

Melanie Jayne Melville tinha levado ao extremo as condições insalubres de sua casa, colocando em risco não só a sua vida, mas a de vários cãezinhos, que estavam em condições extremas de abandono. Foi o suficiente para que alguns vizinhos de Melanie se queixassem para a polícia local, que se dirigiu até a residência para averiguação.

A inspetora Jilly Dickinson estava no comando e se surpreendeu quando, ao verificar a casa, ela encontrou 9 cãezinhos muito assustados, em condições inadequadas. A este respeito, Jilly comentou:

“A sala de estar, onde metade deles morava, estava suja e cheirava mal porque eles a usavam como banheiro. A outra metade vivia em um prédio anexo no jardim que também estava em más condições”.

Os cães viviam em um ambiente caótico e preocupante, seu comportamento mostrou que eles não estavam acostumados a espaços ao ar livre, o que lhes causou muitos problemas para socializar. Embora Melanie parecesse gostar dos pequeninos, ela não fez muito para salvaguardar sua vida e a dos animais indefesos.

A inspetora Jilly guiou-a com alguns conselhos para melhorar seu estilo de vida e poderia oferecer algo melhor para os cachorrinhos. A mulher teve um mês de prazo para mostrar que seria capaz de ordenar tanto caos, mas depois desse tempo, a inspetora chegou à casa e sua angústia aumentou, pois nada havia mudado, na verdade, tudo estava pior.

A felicidade surge quando a ajuda chega.

Os pobrezinhos estavam em alto risco, então a RSPCA cuidou deles, desconfortáveis e confusos, eles não sabiam como se comportar, então Jilly decidiu levá-los um a um para seu carro.

O medo dos cães cessava quando estavam nos braços dos socorristas, eles se aproximaram pacientemente e ganharam sua confiança.

Os pequeninos sorriam como forma de agradecimento.

Com o tempo os cãezinhos se tornaram amigáveis ​​e carinhosos. Sua ex-proprietária se declarou culpada por ir contra a Lei de Bem-Estar Animal, tendo que pagar multas e participar de um programa de reabilitação.

Com a colaboração de pessoas de bom coração, cada um teve um final adequado.

Levantemos nossas vozes contra o abuso de animais, assim poderemos salvar mais vidas.

Traduzido e adaptado por: Eu amo os animais

Fonte: Zoorprendente

Sua condição era tão lamentável, que ele nem parecia um cãozinho de verdade, quando foi resgatado

Os animais abandonados ou maltratados quase sempre reagem gentilmente aos seus salvadores; no entanto, há também aqueles que mostram agressividade. Mas, independentemente da reação, precisam de ajuda, com um pouco de paciência e cautela para resgatar qualquer animal.

Caro é um cão que precisava de ajuda e sua história era bastante desoladora.

Kylina Turner estava andando em silêncio quando notou algo que partiu seu coração.

Caro estava em uma propriedade em Austin, Texas, em uma espécie de cama de arame do lado de fora, no frio; Quando Kylina viu o pobre animal, ela não tinha certeza se ele estava vivo, quase parecia um bicho de pelúcia ali, jogado, mas não, era realmente um ser vivo que precisava de sua ajuda.

O animal tocou a perna da mulher, apesar do fato de que ele não conseguia nem se mexer por causa da condição em que estava, o pobrezinho estava completamente magro e desnutrido.

A mulher pegou o paletó e cobriu Caro, pegando-o nos braços, aquele cãozinho precisava de atenção médica urgente… O pequenino praticamente não reagiu quando Kylina o segurava, tentando ajudá-lo. O pobrezinho queria ser ajudado, era como se ele soubesse que a mulher estava prestes a salvar sua vida.

Ela levou o pequenino até o veículo, para levá-lo ao abrigo mais próximo, mas o abrigo ficava a 20 minutos de carro de onde eles estavam, Kylina receava que a viagem fosse longa demais para o pequenino e resolveu levá-lo ao veterinário.


Quando eles chegaram ao veterinário, o cão foi direto para a sala de emergência, onde eles se certificaram de que ele sobreviveu até o momento, sentindo-se melhor, então era quase impossível para Kylina não se apaixonar por Caro.

Ele era apenas um filhote de 6 meses, mas os exames médicos determinaram que o cão estava desnutrido, desidratado, queimado pelo sol e também tinha um caso grave de sarna.

“Os técnicos veterinários me disseram que o manteriam lá e que arrecadariam dinheiro para pagar a recuperação”, disse Kylina. “Naquela noite eu comecei uma campanha para ajudar Caro.”

Kylina conta como a primeira semana na clínica de animais para Caro foi muito difícil, mas, apesar disso, os veterinários comemoraram todos os avanços que o cãozinho fazia em sua recuperação, por menor que fosse;  Se o pequenino comia sólidos ou se ele mesmo levantava a cabeça, era um triunfo para os médicos.

Para Kylina o destino foi certeiro, ela já amava Caro… A princípio ela pensou em cuidar dele enquanto se recuperava, mas quando estava melhor e podia levá-lo para casa, eles não podiam desistir dele.

Mesmo Casey, seu outro cão de 7 anos, tornou-se o melhor amigo de Caro.

“Caro nos trouxe mais felicidade do que ele imaginou”, disse Kylina. “Ele é o filhote mais engraçado e nós sempre rimos do que ele está fazendo.”

A recuperação do filhote foi lenta, mas muito positiva, Kylina teve que lhe dar banhos para se recuperar da sarna, além de ter que engordar até atingir o peso ideal, hoje o pequenino já tem 9 meses e uma ótima saúde.

Este cão definitivamente mudou a vida desta mulher, e ela mudou a sua!

Traduzido e adaptado por: Eu amo os animais

Fonte: Zoorprendente

Misteriosa ponte na Escócia é conhecida por cachorros se atirarem la de cima

Uma ponte localizada em Dumbarton, na Escócia, tem o nome de Overtoun Brigde feita de um estilo gótico, foi concluída no ano de 1895.

Se não fosse por um fato misterioso que esta ponte carrega, ela seria um ponto turístico muito atrativo, o fato é que muitos cachorrinhos ao passar pela por ela, simplesmente se jogavam no meio dela, pulando de uma altura de mais de 50 metros, e sem nenhum motivo aparentemente.

Veja abaixo a ponte que carrega todo este mistério na Escócia.

Tudo começou há um bom tempo lá pelas décadas de 1950, e até hoje acontece alguns casos.

Cães, com focinho mais longo, tais como Collies e Dobermanns, ao passar e chegar no meio da ponte, simplesmente, tinha a impressão de quem alguma energia invisível os atraia, eles corriam para a lateral da estrutura e pulavam para o rio lá embaixo, perdendo a vida.

Os cachorros que sobreviviam, pasme, incrivelmente voltavam e se jogavam outra vez.

Devido aos casos de suicídios caninos aparentemente causados pela ponte, começaram a surgir teorias e diversos estudos para tentar explica o que acontece ali.

A teoria que mais chama a atenção, é que essa ponte é um campo de “transição” entre esse mundo e o “outro”, que só é percebido por animais, como os cachorros.

Os cãezinhos ao cruzar a tal ‘linha sobrenatural’, automaticamente surtam por causa da carga enérgica acabam pulando a para a morte.

Também a explicação científica mais trabalhada, que diz que o local embaixo da ponte contém um mamífero chamado de Vizon popularmente, e esses mamíferos contem um substancia de cheiro característico em sua urina, que causam um tipo de ‘frenesi’ nos cães, que fazem com que eles perdem o instinto de tempo-espaço e, assim, fazendo com que eles se joguem da ponte.

Mas o fato é que, a ponte infelizmente também já foi cenário de tentativas de suicídio humano. Em 1994, um homem jogou sem bebê que havia acabado de nascer da ponte, logo depois tentou pular também, mas foi impedido, e justificou o ocorrido, de que seu filho seria o Anticristo. O recém-nascido perdeu a vida.

Por essas teorias, e outras, Overtoun ainda não tem nenhuma explicação que comprova com certeza o porque do local sem o preferido para cães tirarem a suas vidas, o mistério ainda intriga muita gente, e até hoje é objeto de muitos estudos.

Adaptado por Eu amo os Animais

Fonte: Fatos Desconhecidos

Você sabia que nossos cães nos enxergam como seus pais?

Olha que coisa mais fofa…E, naturalmente, nós, como pais, os tratamos como filhos, então, logicamente, seu pequenino age como se fosse uma criança, mesmo quando ele já for um idosinho.

A veterinária Lisa Horn liderou uma pesquisa na Universidade de Viena, na Áustria, onde 22 cachorros fizeram parte do estudo.

Os pequeninos foram separados em três grupos: um terço dessa turminha ficaria sem o dono, enquanto outra parte ficaria acompanhada por eles, mas uma parte dos donos deveriam ficar em silêncio, e a outra teria que encorajar os cães a fazer as atividades.

E os pequeninos somente precisavam interagir com alguns brinquedos. E ganhariam comida, em troca.

Os cãezinhos que estavam com os donos passavam muito mais tempo brincando. Para os cães ‘abandonados’, nem a comida servia para motivá-los.

O teste foi refeito pela pesquisadora, mas dessa vez substituíram os donos por pessoas desconhecidas. Nenhum dos cãezinhos demonstrou interesse pelos brinquedos.

De acordo com Lisa, os testes foram suficientes para comprovar a existência da “área de segurança”. Isso quer dizer que os cães se sentem mais seguros, confiantes e confortáveis na presença dos donos.

Sem os donos por perto, tudo parece mais perigoso – e sem graça, que é exatamente o que acontece na relação entre pais e filhos pequenos. “Esta é a primeira evidência da semelhança entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz a pesquisa.

Quem tem um bichinho percebe isso facilmente, não?

Quantas vezes você já disse por aí que seu cachorro se parece com uma criança?

Fonte: Superinteressante

Pesquisas afirmam: as mulheres dormem melhor com seus cães do que com seus parceiros

Além de confortável, também é bom para a qualidade do sono

Como donos de cães, todos nós sabemos como é bom se aconchegar na cama com nossos companheiros. Mas não é apenas confortável, também é bom para a qualidade do seu sono.

Um estudo realizado pelo “Canisius College”, em Buffalo, Nova York, revelou que as mulheres dormem melhor com o braço ao redor de seus cães, em vez de abraçar os seus parceiros.

Já foi comprovado que ter um cãozinho traz muitos benefícios para a saúde. A lealdade e amor incondicional podem ajudar na ansiedade e depressão, sem mencionar o exercício extra que você recebe ao passear com seu peludinho.

Agora, os pesquisadores concluíram que as mulheres têm um sono muito melhor com seus cães ao seu lado, em vez de um parceiro humano ou até mesmo gatos.

A pesquisa envolveu 962 mulheres que vivem nos EUA, das quais 55% delas dividiram a cama com pelo menos um cachorro e 31% delas dividiram a cama com pelo menos um gato. O estudo descobriu que 57% das mulheres compartilhavam a cama com um parceiro humano.

A equipe de pesquisa, liderada pela professora associada, Christy L. Hoffman, descobriu que os cães eram menos propensos a acordar seus donos no meio da noite do que gatos e humanos.

“Os donos de cães precisam se ajustar às necessidades de seus cães para ir ao banheiro a cada manhã, e isso ajuda a mantê-los em uma rotina de despertar relativamente rigorosa. E os principais períodos de sono dos cães tendem a coincidir mais intimamente com os humanos do que os gatos”, disse ela, de acordo com o Huffington Post.

De acordo com os pesquisadores, as mulheres se sentiam mais seguras à noite com seus cães ao seu lado.

“Algumas mulheres podem se consolar com o pensamento de que seu cão irá alertá-los no caso de um intruso ou outro tipo de emergência”, disse Hoffman. “É menos provável que um gato assuma esse papel”.

Esse estudo é baseado na respostas das próprias pessoas e, é claro que um cão não é capaz de resolver o problema de sono de todas as pessoas. Além do mais, algumas mulheres disseram que os seus cães roncam demais quando dormem e que isso as incomoda.

Qual sua opinião sobre esse assunto?

Traduzido e adaptado por: Eu amo os animais

Fonte: Newsner

Porque os cães têm o costume de cheirar suas partes privadas??? Entenda o motivo…

Você já se sentiu constrangido quando foi fazer uma visita na casa de um amigo e o cãozinho dele vem cheirar suas partes íntimas???

Saiba que isso é completamente normal, no mundo dos cachorros. Veja porque:

O olfato dos cães são muito desenvolvidos e são usados para interagir e explorar o mundo ao seu redor.

Assim como todos os outros mamíferos, eles possuem “glândulas sudoríparas apócrinas”.

Nos cãezinhos, essas glândulas ficam espalhadas por todo o seu corpo, e principalmente nas partes íntimas e na cauda, onde produzem substâncias chamadas feromônios, que têm um odor muito particular.

Através dos feromônios, os cães obtêm informações sobre os outros animais como por exemplo o sexo, idade, mudanças hormonais e até mesmo humor.

Resumindo, o ato que os cães têm de cheirar o traseiro do outro é uma espécie de bilhete de visita, possibilitando-os de se conhecerem melhor.

Assim com as pessoas se cumprimentam, dando as mãos e conversando, os cãezinhos fazem o mesmo, a diferença é que se cheiram, em vez de usarem as patas para se cumprimentarem.

Mas porque eles fazem isso com humanos? É simples, pelo mesmo motivo.

Os peludinhos cheiram as partes íntimas das pessoas para nos conhecerem melhor.

Nós, seres humanos também produzimos o feromônio, substâncias químicas produzidas por glândulas existentes por todo nosso corpo, especialmente nas regiões íntimas.

Os odores transmitidos pelos feromônios contêm todas as informações de uma pessoa, ou seja, sexo, humor, idade e no caso das mulheres indicam sobre o ciclo menstrual ou gravidez.

As glândulas sudoríparas do homem não estão em todo o corpo, mas sim nas axilas e na virilha, então o instinto do cãozinho é ir direto para lá.

E nas mulheres, os cães tendem a cheirar as partes íntimas durante o ciclo menstrual, quando deram à luz ou estão amamentando, ou quando estão no período da ovulação ou, em geral, de pessoas que tiveram relações sexuais. A razão é clara: o cheiro dos feromônios é mais forte e mais consistente.

Se o cão faz isso com estranhos é para ter informações sobre a pessoa, se o faz com os seus donos é apenas para saber como está o humor do dono naquele momento.

E o que fazer nessas horas?

Apesar do constrangimento e desconforto que essa atitude de um cãozinho possa causar, você não deve se sentir envergonhado, simplesmente o remova, fazendo um carinho e desviando a atençao para outra distração. Afinal, para ele, esse ato involuntário é completamente normal.

Agora que você já sabe o motivo, enquanto o cãozinho procura suas informações, você pode aproveitar para explicar aos outros o porquê dele fazer isso! 😀

Fonte: realidadesimulada.